Programa de acessibilidade é reconhecido com Moção de Aplausos


Moção de Aplausos 7

Pode bater palmas. A inclusão do ensino musical em Braille no Projeto Guri teve o mérito confirmado. A Amigos do Guri recebeu da Câmara de Vereadores de Piracicaba uma Moção de Aplausos, na última quarta-feira (27 de abril). A homenagem, endereçada à diretora-executiva Alessandra Costa, foi recebida pelos representantes Helen Valadares (assessora de projetos especiais), Valéria Zeidan (gerente pedagógica) e Fábio Bonvenuto (consultor para capacitação em musicografia Braille). Os aplausos, entretanto, estenderam-se além dos feitos para os deficientes visuais, lembrando a missão do Guri em promover o desenvolvimento humano e também dos esforços empreendidos na busca por outros meios de ampliar a acessibilidade aos alunos e funcionários.

A placa de moção foi entregue pelo vereador e cadeirante André Bandeira, autor da proposta ratificada por meio de votação unânime na Câmara. Também presente na ocasião, Rosângela Camolese, Secretária Municipal de Ação Cultural, declarou que o Guri ‘é um projeto fundamental para a cidade’. “Rosângela é uma grande parceira, ajudou a levar o projeto à cidade e está sempre colaborando com nossas ações. Mas não imaginávamos que a homenagem fosse tão grandiosa”, disse Helen, idealizadora e gestora do processo iniciado em 2014 que resultou na inclusão do material didático em Braille, bem como na capacitação dos educadores, supervisores educacionais e integrante da Diretoria Educacional (na sede).

A cerimônia foi realizada em três momentos: apresentação da Camerata de Cordas, Big Band e grupo de Percussão – todos alunos de turmas avançadas. Em seguida, ocorreu a leitura do documento de Moção de Aplausos e a sessão de discursos, com o vereador, a secretária, Helen, Valéria e Fábio. Nesse momento foi entregue a placa com o certificado da Câmara de Vereadores. Para encerrar com louvor, o Coral do Projeto Guri de Piracicaba fez uma apresentação memorável, com um medley das principais obras de Adoniram Barbosa ­(com encenação da famosa canção Trem das Onze, entre outras) e um medley do filme Grease ­– nos Tempos da Brilhantina.  “Os meninos estavam com a autoestima bem elevada. Fizeram música como eu não ouvia há tempos. E olha que eu tenho quase uma década de Guri”, contou Helen, encantada com o ambiente que encontrou no Polo. 

O espaço utilizado pelo Polo de Piracicaba é o Armazém da Cultura, na Estação da Paulista (antiga ferroviária). As aulas, separadas em salas por instrumentos, são ministradas por seis profissionais da área de música e instrumentação. O Guri compartilha o espaço com outro projeto de música da prefeitura em esquema de revezamento, ou seja, o local é ocupado cada dia por um projeto. A parceria agrada a todos, principalmente a garotada.

Na saída do evento, Helen se emocionou com as palavras da mãe de um garoto com cerca de 10 anos. “Você não tem ideia de como o Projeto Guri mudou minha vida. Meu filho tinha grande dificuldade para falar e não tinha vontade nem de fazer os exercícios indicados pela fonoaudióloga. Então fui orientada a procurar um coro para ele participar. Mesmo sabendo das deficiências do meu filho, o Guri o acolheu e tem sido maravilhoso no seu desenvolvimento”, disse Maria Aparecida dos Santos. O guri, Gabriel Mendes dos Santos, fez uma pausa na missão frenética de fotografar as ações ao redor e abriu um sorrisão confirmando as palavras da mãe.

Segundo avaliação da educadora Vanessa Zambão, que além de educadora musical tem formação em fonoaudiologia, o aluno mencionado apresenta dificuldade na aquisição dos sons da fala, troca de fonemas e alteração na motricidade orofacial. Tanto a mãe quanto a educadora citam que Gabriel tem tido um bom desenvolvimento desde que entrou no Projeto Guri, tanto na questão motora e os aspectos da fala, como no convívio com os colegas.

 

Histórico da acessibilidade no Guri

2010 – A sede da Amigos do Guri e os Polos do Projeto Guri passam por adaptação de seus ambientes e capacitação para promover a inclusão de pessoas com deficiência. Guri Inclusivo é uma iniciativa da Amigos do Guri em parceria com a OSCIP Mais Diferenças – especializada em implementar práticas e políticas de inclusão em organizações diversas.

2011 – É instituída a cartilha de Política de Inclusão da Amigos do Guri. Na Intranet, em documento.

2014 – 7º Seminário Amigos do Guri – Inclusão e Ensino Coletivo de Música. O programa de acessibilidade ganha consistência e rumos mais concretos.  No mesmo ano, os livros didáticos de Canto Coral Infantojuvenil, Violão e Percussão ganharam impressão em Braille.

2015 – Fábio Bonvenuto, referência no ensino de música para crianças, jovens e adultos com deficiências, capacitou cerca de 20 profissionais da Amigos do Guri. No plano de aula, informações teóricas e lições práticas sobre a melhor forma de utilizar os livros didáticos e as ferramentas eletrônicas, como o software MusiBraille. Os multiplicadores potenciais replicaram o conhecimento para supervisores e educadores regionais.
2016 – Atualmente, os deficientes visuais têm acesso ao site do Projeto Guri e navegam no MusiBraille, isto é, editam partituras e compõem em Braile. Há também uma preocupação em conseguir, junto aos parceiros e patrocinadores, maneiras de tornar acessível as instalações que abrigam os Polos.

 

Confira abaixo as imagens do evento. Fotos: Fabrice Desmonts