Parceria entre Guri e Fábricas de Cultura resulta em disco de jovens da Fundação CASA


ar da liberdade

Mais de 70 jovens da Fundação CASA, alunos e alunas do Projeto Guri, participaram do disco Ar da Liberdade, gravado pelos estúdios das Fábricas de Cultura. O álbum – resultado da parceria inédita entre as instituições – será lançado no dia 14 de setembro e disponibilizado digitalmente e de forma gratuita na plataforma de SoundCloud das Fábricas: https://soundcloud.com/fabricasdecultura.

Os alunos participaram da seleção do repertório (que incluiu duas composições autorais: uma faixa escrita por uma jovem do centro socioeducativo Ruth Pistori e outra de um grupo do Guarujá), da escolha do nome do disco e até da ilustração que estampa a capa, definida por meio de um concurso de desenho.

As gravações aconteceram nos estúdios das Fábricas de Cultura Brasilândia, Jaçanã, Jd. São Luís e em um dos centros da Fundação Casa, que recebeu a unidade de estúdio móvel da Fábrica de Cultura Capão Redondo. “Observando o mundo a partir da realidade desses jovens, podemos dizer que ter o contato com a arte e ter a possibilidade de gravar um CD com o seu trabalho é, realmente, uma oportunidade transformadora”, afirma Paola De Marco, Coordenadora de Articulação e Difusão das Fábricas de Cultura.

 

“Em 2015 fomos procurados pelo Murilo Murah, responsável pelos estúdios das Fábricas, que nos propôs uma parceria”, explicou Valeria Zeidan, gerente pedagógica da Amigos do Guri. “Dentre as possibilidades, surgiu o interesse em registrar a produção dos meninos e meninas da Fundação CASA nos estúdios das Fábricas”.

Os centros da Fundação CASA contemplados com o programa foram Rio Tâmisa (12 alunos de violão, 10 de cavaco e 10 de percussão); Guarujá (10 alunos de percussão), Ruth Pistori (15 alunos de canto coral e 10 de percussão) e Novo Tempo (10 alunos de percussão).

A proposta de envolver os alunos nas ações integra o Guri Participativo, um programa criado para estimular a autonomia e a participação ativa de alunos e alunas do Projeto Guri com a missão de dar voz a crianças, adolescentes e jovens – incentivando o exercício da cidadania, a livre expressão, também a instituição a aprimorar suas ações.

“Os alunos de Fundação CASA sentem o peso do estigma de haver passado por um período de medida socioeducativa e o preconceito social que envolve esta situação. As ações culturais, sociais e pedagógicas colaboram para a construção de um entendimento sobre ações positivas. Eles se sentem valorizados”, completou Valéria.

Wellington Araújo, gerente de arte e cultura da Fundação CASA, afirma que gravar o CD num estúdio profissional promove uma sensação de completude nos participantes e dá um outro sentido e modo de observar a mesma oficina de música onde iniciaram a trajetória. “As oficinas de música ganham um significado muito mais ampliado e rico em outros aprendizados”, comenta Wellington Araújo.

SOBRE A POIESIS
A POIESIS – Organização Social de Cultura é uma organização não governamental que desenvolve e gere programas e projetos, pesquisas e espaços culturais, museológicos e educacionais voltados para a formação complementar de estudantes e do público em geral. A instituição trabalha com o propósito de propiciar espaços de acesso democrático ao conhecimento, de estímulo à criação artística e intelectual e de difusão da língua e da literatura.

SOBRE O PROJETO GURI
Mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo, o Projeto Guri é considerado o maior programa sociocultural brasileiro e oferece, nos períodos de contraturno escolar, cursos de iniciação musical, luteria, canto coral, tecnologia em música, instrumentos de cordas dedilhadas, cordas friccionadas, sopros, teclados e percussão, para crianças e adolescentes entre 6 e 18 anos (e jovens de até 21 anos da Fundação CASA). Mais de 49 mil alunos são atendidos por ano, em quase 400 polos de ensino, distribuídos por todo o estado de São Paulo. Os mais de 330 polos localizados no interior e litoral, incluindo os polos da Fundação CASA, são administrados pela Amigos do Guri, enquanto o controle dos polos da capital paulista e Grande São Paulo fica por conta de outra organização social. A gestão compartilhada do Projeto Guri atende a uma resolução da Secretaria que regulamenta parcerias entre o governo e pessoas jurídicas de direito privado para ações na área cultural. Desde seu início, em 1995, o Projeto já atendeu cerca de 650 mil jovens na Grande São Paulo, interior e litoral.

SOBRE A FUNDAÇÃO CASA
A Fundação Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente (CASA), instituição vinculada à Secretaria de Estado da Justiça e da Defesa da Cidadania, tem a missão primordial de aplicar medidas socioeducativas de acordo com as diretrizes e normas previstas no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) e no Sistema Nacional de Atendimento Socioeducativo (SINASE).  A Fundação CASA presta assistência a jovens de 12 a 21 anos incompletos em todo o Estado de São Paulo. Eles estão inseridos nas medidas socioeducativas de privação de liberdade (internação) e semiliberdade. As medidas — determinadas pelo Poder Judiciário — são aplicadas de acordo com o ato infracional e a idade dos adolescentes.