Dia da Música envolverá Guri e comunidade em diversas ações pelo estado de SP


Guri participativo - logo

O Guri Participativo é um programa criado para estimular a autonomia e a participação ativa de alunos e alunas do Projeto Guri dentro e fora da sala de aula. Seu principal objetivo: dar voz a crianças, adolescentes e jovens – incentivando o exercício da criatividade e da cidadania, a livre expressão e também nos auxiliando a aprimorar nossas ações.

Ambicioso, esse novo eixo pedagógico marca uma nova etapa do Projeto Guri, maior programa sociocultural brasileiro, mantido pela Secretaria da Cultura do Estado de São Paulo. Com 22 anos de história – foi criado em 1995 – e mais de 650 mil alunos atendidos nesse período, o Guri avalia ter atingido sua maturidade. Esse seria, portanto, o momento ideal para, mantendo o que já foi conquistado, dar um passo adiante em sua missão, que é promover, com excelência, a educação musical e a prática coletiva da música, tendo em vista o desenvolvimento humano de gerações em formação.

O Dia da Música, celebrado no dia 24 de junho, será o primeiro capítulo dessa nova etapa do Projeto Guri. Na data, estudantes de todos os nossos 330 polos de ensino deverão realizar um projeto que tenha sido elaborado por eles, com apoio das equipes. “Propusemos aos (às) alunos (as) o desafio de pensar em alguma atividade que acontecesse fora do polo de ensino, em outros espaços da cidade, convidando a população a celebrar este dia de uma forma mais interativa”, diz Alessandra Costa, Diretora Executiva da Amigos do Guri. Mas a proposta de fomentar a participação dos jovens não se encerra com esse evento.

Os espaços de atuação dos estudantes devem ser ampliados também dentro das salas de aula.  No projeto piloto, que será posto em prática no segundo semestre, alunos (as) terão um tempo reservado de 15 minutos por mês para liderar atividades musicais em sala de aula. As atividades serão de livre escolha. Aos educadores, caberá estimular os (as) alunos(as) a criar os projetos que serão apresentados nessas aulas participativas, oferecendo apoio para estrutura-las, bem como organizar uma agenda para a apresentação de suas propostas. Após a avaliação da experiência por parte dos alunos(as) e educadores(as), o formato poderá ser mantido, aperfeiçoado ou alterado. “Esperamos que os alunos(as), ao ser incentivados a participar, tomem consciência do processo de construção de seu conhecimento, de sua atuação em sala de aula, tanto em relação aos seus colegas quanto em relação à sua própria vida, desenvolvendo a autonomia, o respeito e a cidadania”, comenta Claudia Freixedas, Diretora Educacional da Amigos do Guri. “Em relação aos(às) educadores(as), a expectativa é de que percebam as riquezas de experiências e saberes da cada aluno(a) em sua singularidade, buscando reformulações constantes na prática docente.”

Importante tema de discussão na sociedade atual, o protagonismo infantojuvenil está no horizonte do Guri Participativo. A ideia é colocar o jovem como elemento central da prática educativa, buscando um formato em que crianças e adolescentes possam exercitar questões cruciais para a cidadania, tais como o compromisso, a responsabilidade e a liberdade.

Uma segunda etapa prevê ainda a criação de instâncias institucionais para a participação dos (as) alunos (as) na definição das políticas do Projeto. O intuito é estabelecer um canal efetivo de interlocução entre a organização, seu público alvo e as comunidades onde atua. Dessa forma, seria possível repensar algumas práticas, aproximando-as dos desejos e necessidades de alunos (as) de diferentes faixas etárias.

Projeto Guri www.projetoguri.org.br